Um dos tratamentos mais oferecidos no Brasil, o peeling já se tornou queridinho entre grande parcela da população pois é um procedimento que regenera a pele, permitindo a renovação celular e fornecendo uma pele linda e radiante. O peeling pode ser físico, químico ou a laser, ambas as 3 técnicas devem ser feitas com um profissional da área de estética ou um médico dermatologista.

Porém, uma questão bem séria que muitos profissionais de beleza vem tratando são os contras do uso indiscriminado do peeling, muitas vezes por muitos clientes fazerem, sem o apoio de um profissional gabaritado ou pelo excesso de sessões.

Muitas pessoas acreditam que peeling funciona para tudo, até mesmo para clarear melasmas ou ser o curinga para salvar uma pele que necessita de maior atenção. Mas calma! Muitas variáveis existem e o cuidado com a técnica, sabendo qual usar, em que camada age, em que tipo de pele utilizar, em quais quesitos o peeling pode ser usado, são algumas das questões que se você quiser te sucesso na técnica precisará saber. Separamos algumas dicas bem especiais para você estar antenado e poder usufruir da melhor maneira possível do peeling, para você ou para seu cliente:

1 – Quais os tipos de peeling e para que servem?

Os peelings cosméticos usados por profissionais de estética são os químicos, enzimáticos e físicos. Os químicos caracterizam-se pela associação de um ou mais ácidos que agem em sinergia para um efeito regenerador; os enzimáticos, associação de uma ou mais enzimas que fomentam a descamação suave da primeira cada da pele, a epiderme; e os físicos, agem de forma mecânica, com o auxílio de cristais de quartzo, por exemplo.

Quando falamos em peelings dermatológicos, estamos contextualizando peelings mais potentes que irão agir abaixo da primeira camada da pele, que é o uso do laser.

2 – Quando usar cada tipo de ácido?

Ácidos que são da família dos queratinócitos como o glicólico e salicílico, devem ser usados em peles mais espessas ou com uma produção de sebo/oleosidade maior, pois estes irão agir diretamente no controle dessa hiperprodução e no afinamento da camada da pele. O ácido glicólico é excelente para combater as rugas finas e mais superficiais da pele, mas se o que procura são ácidos que irão atenuar as manchas, você deve usar cosméticos com mandélico e ferúlico.

3 – Peeling é utilizado para tirar mancha?

Todo e qualquer peeling não possui como função principal o clareamento das manchas pois o peeling funciona como coadjuvante e um auxiliar no tratamento de clareamento. A Dra. Sheila Gonçalves, diretora da Medicatriz e especialista em manchas pela UNIFESP, chama o melanócito de “menino birrento” pois quanto mais você “cutucar” maiores são as chances de produzir mais melanina, assim aumentando ainda mais a pigmentação da mancha. O que isso a tem a ver com o peeling?

O peeling funcionará como um “abre-alas” para o tratamento ideal de clareamento, irá afinar a pele e permitir a maior permeação dos ativos despigmentantes. Os ativos despigmentantes naturais são os maiores aliados pois possui alta afinidade com a pele e funcionarão como um “menino calmo” que não deixará a mancha escurecer.

4 – Quais equipamentos posso associar ao peeling?

Os 2 tratamentos mais indicados para a associação é o LED azul, que irá aumentar a permeabilidade do tecido e as micro correntes que poderá ser feita antes de uma sessão de peeling para estimular a ATP da área, responsável pela reserva de energia que a pele irá precisar para oferecer a ação do peeling.

5 – Qual a melhor época para se fazer peeling?

Sempre que há um contato direto com forte exposição a luz solar ou a calor, não é indicado o uso de peelings pois seu efeito, como citado acima, pode ser reverso, estimulando ainda mais a produção de sebo ou de melanina. Por isso, o mais indicado é o uso do tratamento no inverno ou quando o cliente não estiver em exposição solar e com mito filtro solar, por isso sempre perguntar com o que o cliente trabalha é primordial para um bom tratamento.

6 – No procedimento de peeling, o que pode ser usado como Home Care?

Durante o tratamento de peeling, a pele age com alguns mecanismos de defesa, como a produção de radicais livres. Por isso, a necessidade de atuação dos antioxidantes devem ser primordiais no tratamento, como uso diário de cosméticos com ativos com vitamina c ou resveratrol, por exemplo.

Preparamos um programa de tratamento ideal para você fazer a associação com o tratamento de peeling, o Programa Vision Regenér. Para ter acesso, clique aqui e saiba mais!

7 – Qual tipo de peeling devo usar em cada tipo de pele?

Peles podem ter maior resistência ao recebimento de ativos ou cosméticos. A divisão entre peles normais, resistentes ou super resistentes irá denominar qual o melhor tratamento de peeling.

Em peles sensíveis, não se indica o uso de peelings, apenas em peles normais, secas ou mais maduras.

Por isso, preparamos um Termômetro que irá te mostrar qual tratamento usar em cada situação, o Termômetro da Beleza. Para ter acesso, clique aqui e faça seu cadastro para o download do material.

Também não perca de assistir a live que fizemos com Mariana Gomes e Sheila Gonçalves sobre o assunto, clique aqui.

Peeling, tudo o que você precisa saber!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *